segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Paradoxo

A dor que abate e funge e nos tortura
Que julgamos às vezes não ter cura
E que o destino nos deu e nos impôs
E tão pequena, já não é dor talvez
Dor já não é

Dividida por dois...

A alegria que as vezes num segundo
Nos dá o desejo de abraçar o mundo
E nos põe triste sem querer depois
Aumenta, cresce e bem maior se faz
Já não é alegria é muito mais
Dividida por dois...

Estranha essa aritmética da vida

Nem parece ciência parece arte
Entendo a dor diminuir se dividida
Não entendo é aumentar nossa alegria
Se essa mesma alegria se reparte.

J.G. Araújo Jorge